Todos conhecem o potencial calmante do maracujá. O que muitos não sabem é que esta fruta é versátil e dela pode-se aproveitar não apenas a polpa, mas também a casca (na forma de farinha) e as folhas (em chás). Estudos demonstram que a farinha feita com a casca do maracujá tem efeitos positivos no tratamento de pacientes diabéticos e obesos.

“Em estudo utilizando farinha da casca do maracujá na alimentação de ratos normais e diabéticos, verificou-se o controle do diabetes, devido a ação hipoglicemiante, por ser rico em pectina. A farinha pode, então, ser utilizada como alimento funaional”, informa a nutricionista Greice Caroline Baggio.

É na casca da fruta que se encontra grande quantidade de fibras, entre elas a pectina. Elas são responsáveis pelo bom funcionamento do intestino. De acordo com Greice, a suplementação da dieta com fibras solúveis é considerada uma medida eficaz no tratamento de  pacientes diabéticos e obesos. ” A fibra induz à saciedade e a um perfil lipoproteico mais adequando a longo prazo”, explica a nutricionista.

As fibras de naracujá quando transformadas em farinha, diminuem as taxas de açúcares no sangue e impedem que a gordura dos alimentos seja absorvida. “A farinha da casca de maracujá é ric aem pectina, uma fração de fibra solúvel encontrada na parte branca da casca da fruta. Essa fibra possui a capacidade de reter água, formando géis viscosos que retardam o envelhecimento gástrico e o trânsito intestinal, eliminando parte da gordura e açúcares consumidos na refeição, promovendo ainda a sensação de saciedade. Isso estimula a perda gradativa do peso corporal”, explica Greice.

A fibra também promove um limpeza no organismo, eliminando as toxinas cujo acúmulo causa doenças graves comoo câncer. ” A eliminação adequada de resíduos, fezes, fazem com que o intestino funcione melhor, promovendo o equilíbrio do metabolismo e auxiliando no emagrecimento”, informa a nutricionista.

A crescentar a farinha à dieta pode trazer bins resultados, mas a especialista alerta para a necessidade da manutenção de uma dieta adequada, pobre em gorduras saturadas e açúcares. Caso contrário, o consumo da farinha não trará resultados. A recomendação da nutriocionista é o consumo diário da farinha da casca de maracujá. ” Uma dica é variar o modo de consumo, acrescentando em deversas preparações, em qualquer horário do dia, em sucos, iogurtes, vitaminas, sopas e saladas. Cerca de uma colher de sopa ( 10 gr) tem em torno de 50 calorias”.

Fonte: revista “O Poder dos Alimentos” N2- 2009

Nativa do relevo montanhoso da América do Sul, a quinua era um dos alimentos básicos da culinária inca. Por ser tão nutritiva e essencial para os guerreiros dessa civilização, recebeu o título de “ouro dos incas”.
Cultivada na bolívia, no Equador, no Chile nos Estados Unidos, a quinua é tida como o grão mais saudável do mundo.

Informação nutricional

A quinua é fonte de excelente  de carboidratos e de proteínas de alta qualidade. Cerca de 13%-14% do total de suas calorias são provenientes das proteínas. Ela Também contém todos os aminoácidos essesciais, incluindo a lisina, a metionina e a cistina.
Além disso, é pobre em gordura, rica em fibras e uma ótima fonte de vitaminas B e minerais, como ferro, magnésio, cálcio e potássio. Não possui glúten, portanto é indicada para portadores de doença celíaca.

Benefícios para a saúde

Considerado um grão muito nutritivo, a quinua faz bem para todas as funções do organismo. Quem sofre de enxaqueca deveria incorporá-la à dieta. O magnésio presente relaxa os vasos sanguineos, o que deve reduzir a frequencia das dores de cabeça. Seu consumo também provou ser capaz de melhorar o metabolismo do cérebro e das células musculares – uma contribuição para diminuir a intensidade das dores de cabeça.
A grande quantidade de fibras reduz o colesterol e a pressão arterial, além de fazer cair o risco de formação de cálculos biliares e desenvolvimento de doenças cardíacas. Em suma, a quinua é um dos alimentos mais nutritivos do mundo. A introdução desses grãos em sua dieta é uma escolha inteligente e saborosa.

Cozinhando a quinua

Antes de cozinhar a quinua, enxáguae-a em água fria para remover a saponina, uma camada de sabor amargo semelhante a sabão, capaz de irritar o trato digestivo. Depois, combine uma parte de quinua com das de água e ferva. Assim que a mistura levantar a fervura, abaixe o fogo, tampe e deixe cozinhar até toda agua ser absorvida (cerca de 10 minutos). Antes de servir, deixe-a no vapor por 5 minutos e revolva-a com um garfo.
Ao preparar seus pratos preferidos de arroz, como frituras e pilafs, substitua o arroz branco pela quinua, que também serve como um ingrediente delicioso para saladas e recheios.

Os flocos de quinua

São feitos das sementes achatadas da quinua integral. São uma alternativa deliciosa para o mingau de aveia, quente ou frio. Adicione apenas leite ou água e deixe os flocos de molho por três minutos. Depois, acrescente frutas picadas, nozes e mel. Os flocos de quinua também ficam deliciosos em sopas, guisados e caçarolas.

A principal função da reção humana é contribuir com a perda de peso, porque a mistura tem ingredientes ricos em fibras, como linhaça, farelo de trigo, farelo de aveia, gérmen de trigo e gergelim. “A mistura de cereais e sementes estimula a mastigação e induz um maior tempo de saciedade. Por serem resistentes à ação das enzimas digestivas, as fibras retardam o esvaziamenteo gástrico. Com isso, a tendência é comer menos na próxima refeição e, consequentemente, ingerir uma quantidade menor de calorias ao longo do dia”, explica a nutricionista Elaine Pádua.  (Fonte: revista O poder do grãos e cereais – Ed. No 2).

São inúmeras as receitas de ração humana, algumas possuem oito ingredientes e outras muito mais.  É possível encontrar as versões sem açúcar para os diabéticos e a sem guaraná, para os hipertensos. Porém, o  ideal é  que cada pessoa monte a sua própria ração, através de uma receita prescrita por um profissional competente (nutricionista ou médico) exclusivamente para o caso de cada indíviduo, pois cada pessoa possui suas necessidades, deficiências e intolerâncias diferentes e estes pontos devem ser considerados para que o resultado desejado (seja perda de peso ou compensação nutricional) seja alcançado com sucesso.

Alguns componetes da ração humana:

Farelo e Gérmen de trigo;

Extrato de soja;

Linhaça

Gergelim

Levedo de cerveja

Aveia

Gelatina hidrolizada;

 Originário da Ásia central, é consumido como aperitivo ou como ingrediente de doces e sorvetes. Quando o assunto é caloria, praticamente empata com o amendoim – são 571 em 100 gramas , ante as 585 do amendoim. O Pistache também carrega pitadas de cálcio e vitamina B6, uma fonte de bom humor. O Irã, a Grécia, a Turquia e os Estados Unidos são seus principais produtores.

Revista Saúde – Julho 2010

 Existem vários tipos de azeite no mercado, mas, para obter todos os benefícios desse óleo das azeitonas, o ideal é o optar pelo extravirgem. Repleto de antioxidante, esse tipo de azeite protege as células do cérebro contra os prejuízos causados pelos radicais livres.
 Como o alimento é bastante calórico, a recomendação dos especialistas é incluir, diariamente, apenas 2 colheres (sopa) no cardápio, Essa quantia já é capaz de ativar a memória e proporcionar diversos outros benefícios: melhorar a digestão, prevenir doenças cardiovasculares e até afastar o risco de câncer.

você sabia ?

 Radicais livres são moléculas instáveis liberadas pelo próprio corpo durante a produção de energia. Ingestão de bebidas alcoólicas, fumo e estresse aumentam a produção dessas substâncias, que podem danificar as células nervosas, além de oxidar o colesterol sanguíneo (podendo formar placas de gordura nas artérias) e até causar tumores.

 “O Mal de Alzheimer está intimamente relacionado á alta produção de radicais livres”, comenta a nutricionista Carolina Marques. Por isso, é importante consumir alimentos antioxidantes, como o azeite, que nutralizam o efeito dessas moléculas, e previnem doenças.

Revista Saúde em Casa – ano 4 – n°7

 Destacando-se entre os grãos com a maior quantidade de determinados nutrientes, o grão-de-bico é otima fonte de proteínas e,combinado com outras leguminosas, torna-se boa opção para quem não come carne. As proteínas são constituídas por diferentes aminoácidos, e o mais abundante no alimento é o triptofano. “A substancia participa da produção de serotonina, hormônio importante para a sensação de prazer, bem-estar e confiança”, explica a nutricionista Alessandra Coelho. Portanto, se consumido regularmente, o grâo-de-bico colabora até com o bom humor do dia a dia!
 Cálcio e ferro são os minerais de maior importância presente na leguminosa. Afinal, em cada 100g, estão presentes as quantidades significativas de 114mg de cálcio e 5.4mg de ferro. O primeiro é essencial para a manutenção dos ossos e consequente prevenção de osteoporose, Já o ferro é necessário para a produção de glóbulos vermelhos do sangue. A vitamina C, presente no limão, laranja, mamão, acerola, pimentão, etc., ajuda o organismo a absorver o ferro e proveniente dos vegetais, regar uma salada de grão-de-bico com limão, por exemplo, pode potencializar o efeito mineral sobre a saúde.

 

Você sabia ?

 Assim como a soja, o grão-de-bico é rico em fitoestrógenos, substancias com ação semelhante à do hormônio feminino, estrógeno, cuja produção cai após os 40 anos. Assim, o alimento pode ajudar a diminuir sintomas da menopausa, como a dificuldade de fixação do cálcio nos ossos, ondas de calor e secura vaginal.

revista saúde – julho 2010

Diversidade de Nutrientes

 Um dos destaques da soja é a presença do mineral zinco. “Esse composto impede a aceleração do envelhecimento do cérebro”, comenta a nutricionista Bianca Innocencio. Assim, esse nutriente acaba contribuindo bastante para manutenção dos mecanismos da memória.
 Mais do que isso, a soja também é rica em antioxidantes, bem como seus derivados, com destaque para o tofu, substâncias com essas propriedades têm a capacidade de combater os radicais livres, responsáveis por danificar as células do organismos e causar diversas doençãs, inclusive mentais.
 A soja também é fonte colina, vitamina capaz de trazer ótimas influência  para o desenvolvimento do cerébro. Aliás, os benefícios fornecidos por esse nutriente podem favorecer a mente por toda vida, ajudando também na recuperação da perda de memória por conta do envilhecimento.

fonte: revista  Saúde em Casa ano 4 n°7

Proteção Que Vem do Prato

 Priorizar consumo de alimentos com ácidos graxos, fósforo, vitamina C, E e as do complexo B é uma das maneiras mais eficazes e simples de aumentar as defesas antioxidantes. Nesse contexto, a linhaça tem papel importante, Rica em ômega 3 e fósforo, essa sementinha atua contra os radicais livres , regula a energia e transmissão de informações na região cerebral, melhora a circulação sanguínea ao reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL) e triglicérides no sangue e ameniza sintomas de depressão. “O ômega 3, presente na linhaça, melhora a estabilidade da membrana cerebral e a ação de neurotransmissores (serotonina, dopamina, norepinefrina), colaborando na redução de sintomas depressivos”, destaca a nutricionista Lilian Speziali.
 Outro composto da semente que ajuda a combater a oxidação celular e a consequente degeneração da memória é a lignana, “Funciona como um falso hormônio, capaz de provocar o suicídio de células defeituosas a prejudicarem o bom funcionamento do corpo e o desenvolvimento de tumores”, comenta a nutricionista Alessandra Coelho.

Tem Muito Mais

prisão de ventre, aterosclerose, menopausa, câncer de intestino, mama e próstata, anemia, cólicas menstruais, osteoporose e fraqueza: tudo isso pode ser prevenido ou amenizado com o consumo regular de linhaça – pelomenos 2 colheres (sopa) por dia, em frutas iogurte, sopas, sucos ou saladas.

revista saude – julho 2010

Seis amêndoas possuem:

Calorias…………………………………… 41

Gorduras saturadas……………….. 0,3 g

Gorduras monoinsaturadas…….. 2,2 g

Gorduras poli-insaturadas………  0,9 g

Vitamina E…………………………. 1,9 mg

Fósforo………………………………. 35 mg

Potássio………………………………. 51 mg

Garantem os cientistas que uma porção de amêndoas, pode reduzir o LDL em 3%. E, o melhor, sem alterar o peso. Elas representam quantidades consideraveis da vitamina e alfatoferol, que é a forma desse nutriente mais bem absorvida pelo corpo. Uma curiosidade: segundo o mnutrólogo Edson Credidio, um estudo, realizado no King’s College, em londres, mostra que nem toda a gordura dessas oleagínosas é absorvida pelo organismo. Isso porque, durante a mastigação, não conseguimos, romper, todas as parede das células da amêndoa, que participam da absorção do nutriente. O resultado leva à suspeita de que o alimento teria menos calorias do que o imaginado.

Duas nozes possuem:

Calorias ………………………………. 64,4

Gordura Saturada ………………… 0,3 g

Gordura monoinsaturada ………. 2,2 g

Gordura poli-insaturada ………… 0,9 g

Magnésio ………………………… 15,8 mg

Vitamina E …………………………. 35 mg

Potássio ………………………….. 44,1 mg

Zinco ……………………………… 0,23 mg

O fruto da nogueira é provavelmente a mais pesquisada das oleaginosas. “Estudos publicados em diversas partes do mundo esclarecem os benefícios das nozes para a saúde”, afirma o nutrólogo Edson Credidio, pesquisador da Universidade Estadual de Campinas, no interior de São Paulo, em seu livro Alimentos Funcionais na Nutrologia Médica editora Ottoni). Elas fornecem boas pitadas de magnésio, indispensável para quem deseja combater a fadiga e resguardar os ossos. Só não dá para exagerar por causa dos níveis de gordura – entre as suas companheiras de kit, as nozes são as que representam maior quantidade da versão poli-insaurada, que é, sim, benéfica, desde que não haja exageros.

Revista Saúde – Julho 2010