Originário da Ásia central, é consumido como aperitivo ou como ingrediente de doces e sorvetes. Quando o assunto é caloria, praticamente empata com o amendoim – são 571 em 100 gramas , ante as 585 do amendoim. O Pistache também carrega pitadas de cálcio e vitamina B6, uma fonte de bom humor. O Irã, a Grécia, a Turquia e os Estados Unidos são seus principais produtores.

Revista Saúde – Julho 2010

 Destacando-se entre os grãos com a maior quantidade de determinados nutrientes, o grão-de-bico é otima fonte de proteínas e,combinado com outras leguminosas, torna-se boa opção para quem não come carne. As proteínas são constituídas por diferentes aminoácidos, e o mais abundante no alimento é o triptofano. “A substancia participa da produção de serotonina, hormônio importante para a sensação de prazer, bem-estar e confiança”, explica a nutricionista Alessandra Coelho. Portanto, se consumido regularmente, o grâo-de-bico colabora até com o bom humor do dia a dia!
 Cálcio e ferro são os minerais de maior importância presente na leguminosa. Afinal, em cada 100g, estão presentes as quantidades significativas de 114mg de cálcio e 5.4mg de ferro. O primeiro é essencial para a manutenção dos ossos e consequente prevenção de osteoporose, Já o ferro é necessário para a produção de glóbulos vermelhos do sangue. A vitamina C, presente no limão, laranja, mamão, acerola, pimentão, etc., ajuda o organismo a absorver o ferro e proveniente dos vegetais, regar uma salada de grão-de-bico com limão, por exemplo, pode potencializar o efeito mineral sobre a saúde.

 

Você sabia ?

 Assim como a soja, o grão-de-bico é rico em fitoestrógenos, substancias com ação semelhante à do hormônio feminino, estrógeno, cuja produção cai após os 40 anos. Assim, o alimento pode ajudar a diminuir sintomas da menopausa, como a dificuldade de fixação do cálcio nos ossos, ondas de calor e secura vaginal.

revista saúde – julho 2010

Diversidade de Nutrientes

 Um dos destaques da soja é a presença do mineral zinco. “Esse composto impede a aceleração do envelhecimento do cérebro”, comenta a nutricionista Bianca Innocencio. Assim, esse nutriente acaba contribuindo bastante para manutenção dos mecanismos da memória.
 Mais do que isso, a soja também é rica em antioxidantes, bem como seus derivados, com destaque para o tofu, substâncias com essas propriedades têm a capacidade de combater os radicais livres, responsáveis por danificar as células do organismos e causar diversas doençãs, inclusive mentais.
 A soja também é fonte colina, vitamina capaz de trazer ótimas influência  para o desenvolvimento do cerébro. Aliás, os benefícios fornecidos por esse nutriente podem favorecer a mente por toda vida, ajudando também na recuperação da perda de memória por conta do envilhecimento.

fonte: revista  Saúde em Casa ano 4 n°7

Proteção Que Vem do Prato

 Priorizar consumo de alimentos com ácidos graxos, fósforo, vitamina C, E e as do complexo B é uma das maneiras mais eficazes e simples de aumentar as defesas antioxidantes. Nesse contexto, a linhaça tem papel importante, Rica em ômega 3 e fósforo, essa sementinha atua contra os radicais livres , regula a energia e transmissão de informações na região cerebral, melhora a circulação sanguínea ao reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL) e triglicérides no sangue e ameniza sintomas de depressão. “O ômega 3, presente na linhaça, melhora a estabilidade da membrana cerebral e a ação de neurotransmissores (serotonina, dopamina, norepinefrina), colaborando na redução de sintomas depressivos”, destaca a nutricionista Lilian Speziali.
 Outro composto da semente que ajuda a combater a oxidação celular e a consequente degeneração da memória é a lignana, “Funciona como um falso hormônio, capaz de provocar o suicídio de células defeituosas a prejudicarem o bom funcionamento do corpo e o desenvolvimento de tumores”, comenta a nutricionista Alessandra Coelho.

Tem Muito Mais

prisão de ventre, aterosclerose, menopausa, câncer de intestino, mama e próstata, anemia, cólicas menstruais, osteoporose e fraqueza: tudo isso pode ser prevenido ou amenizado com o consumo regular de linhaça – pelomenos 2 colheres (sopa) por dia, em frutas iogurte, sopas, sucos ou saladas.

revista saude – julho 2010